No ano de 2011, foram apresentadas 25.216 queixas pela prática do crime de violência doméstica. Existe um aumento de casos de agressões, numa comparação entre o ano passado (2011) e os primeiros seis meses de 2012. Advinha-se um aumento significativo de agressões fatais, uma vez que no primeiro semestre deste ano (2012) já morreram 20 pessoas, vítimas de violência doméstica, enquanto em todo o ano de 2011 se registaram 27 vítimas mortais. Do mesmo modo que a criminalidade fora do seio familiar – nos assaltos, sobretudo – tem apresentado métodos mais violentos, também no caso das agressões domésticas verifica-se maior “grau de sofisticação” na execução dos crimes: “Armas brancas ou toalhas molhadas retorcidas” estão entre os ‘novos’ métodos que a APAV assinala. No que diz respeito à violência doméstica, Portugal está na lista negra da Amnistia Internacional, que divulgou recentemente o seu relatório anual. Em 2011 contabilizaram-se 14 508 queixas nas diversas forças policiais, ao que corresponde uma média de 40 agressões por dia. O mais admirável é que apenas um terço das vítimas apresentam queixa. A confirmar-se este cálculo, estimamos então um número de 30 mil casos de violência doméstica anuais. Nos últimos 5 anos, em Portugal 176 mulheres

foram vítimas de violência doméstica até à morte. Mulheres que tiveram a esperança que a última reconciliação

fosse a valer. Que os últimos pedidos de desculpa fossem sinceros. Que, desta vez, pudesse mesmo haver uma mudança. E a esperança só morreu quando elas morreram. A rede de apoio às vítimas de violência doméstica é ainda insuficiente e a resposta local revela muitas falhas porque a rede de apoio não cobre todo o território nacional, porque não há uma coordenação de todas as estruturas que prestam apoio às vitimas e porque ainda há muitos profissionais que lidam com esta realidade que não estão devidamente formados nem preparados. André Fernandes Licenciado em Serviço Social pelo ISCET Pós-graduado e Mestrando em Crime, Diferença e Desigualdade pela Universidade de Minho