A permanência de Liu Fenghe, de 25 anos, ao lado do leito da namorada, Lin Yingying, de 22 anos – que estava internada em um hospital de Liaoning, no nordeste da China (fotos)–, chamou atenção da imprensa local, que o descreveu como “namorado modelo” e o “homem mais carinhoso do mundo”.

Durante 8 meses, Liu acompanhou o estado de coma da namorada, consequência de uma batida forte na cabeça. Ele chegou a pagar o equivalente a 30 mil euros pelo tratamento dela. No entanto, o tal “namorado bonzinho” era, na verdade, o responsável pela agressão quase fatal a Lin.

Segundo a moça, ele bateu na cabeça dela com um rolo repetidas vezes, em setembro de 2014, por ela ter queimado, acidentalmente, alguns pães da padaria que administravam. E esse não teria sido o primeiro episódio de violência; de acordo com Lin, ele a agredia constantemente.

O namorado também proibia a família de visitá-la no hospital. Ela só conseguiu ir para casa em fevereiro de 2015. Em maio, recuperou a consciência e contou o que realmente havia acontecido à família. No entanto, por medo das ameaças, ela não havia denunciado o namorado, até agora.

Foi com o incentivo do pai que Lin criou coragem de denunciá-lo para a polícia. “Você morreu uma vez. Do que mais você tem medo? É hora de enfrentar a realidade”, disse ele.

homem_carionhoso_china

Valorize-se

Denunciar um abuso é colocar um ponto final na ferida que nunca consegue ser cicatrizada. Embora não seja fácil, é libertador.

A autovalorização é o lema do projeto Raabe, do Centro de ajuda, que tem incentivado inúmeras mulheres a não silenciarem diante do abuso físico ou psicológico.

“Uma coisa que você precisa entender sobre valorizar-se numa relação é: se você não o faz, ele também não o fará. Então, se você quer parar de ficar sendo traída, humilhada, enganada e rejeitada, aprenda primeiro a parar de fazer isso com você mesma. Sim, você deu início a isso tudo a partir do momento em que começou a relacionar-se com alguém antes de aprender a relacionar- se consigo mesma”, explica Cristiane Cardoso, idealizadora do projeto.

Valorize-se. Não permita que a violência, os traumas e a humilhação continuem sendo inseridas em sua rotina. Se você precisa de ajuda para vencer isso, converse agora mesmo com uma das voluntárias do Projeto Raabe, pelo e-mail projetoraabe@iurd.pt ou pelo telefone (+351) 21 836 80 08.

O próximo encontro do Raabe será realizado no dia 29 de março, nas seguintes moradas e horários:

    • Lisboa 19h30

Alameda Afonso Henriques, nº 35 – 1000-123 Lisboa

    • Porto 19h30

Rua Egas Moniz, nº 485 – 4050-237 Porto

    • Faro 20h00

Largo S. Sebastião, nº 10 – 800-115 Faro

    • Coimbra 19h30

Rua da Sota, nº 20 – 3000-392 Coimbra